OS LIMITES DA PROPOSTA SOCIOPOLÍTICA DE ALASDAIR MACINTYRE: UM ESTUDO ACERCA DA VIABILIDADE DA RETOMADA DA COMUNIDADE COMO ESPAÇO DE REALIZAÇÃO DA POLÍTICA

Fernando Cardoso Bertoldo

Resumo


Reconhecido como forte crítico do liberalismo, Alasdair MacIntyre tem procurado nas últimas décadas formular uma proposta sociopolítica que possa fugir tanto dos problemas do individualismo liberal que assolam as sociedades modernas, como também dos erros das soluções socialistas do passado. Para isso, tem retomado (principalmente na obra Dependent rational animals) fortemente a noção de comunidade (aristotélico-tomista) como um modelo de sociabilidade superior às da “avançada” modernidade liberal. Assim, algumas questões emergem: Que concepção de autonomia entende MacIntyre ser a base da liberdade de tal comunidade? Que educação moral deve fundamentar as ações dos sujeitos? Como se dará a repartição dos bens econômicos, sociais e culturais? Que tipo de deliberação política devem reger as políticas dessa comunidade? Enfim, não estaria a proposta sociopolítica de MacIntyre mais próxima do liberalismo que ele próprio rejeita? Para tanto, em termos metodológicos, como referencial primário da pesquisa, temse as seguintes obras de MacIntyre: After virtue (1984) e Dependent rational animals (1999).

Em tais obras, o filósofo escocês procura desenvolver um modelo de comunidade e identidade que esteja além das propostas liberais modernas. Ainda nesse contexto, obras de autores liberais como Ralws, Dworkin, entre outros, podem servir como eixo referencial para uma leitura crítica de MacIntyre. Portanto, espera-se a partir da problematização da proposta sociopolítica de MacIntyre, uma contribuição para sua teorização acerca da ética das virtudes, bem como uma atualização do debate liberalismo e comunitarismo no cenário contemporâneo.

Palavras-chave: Liberalismo. Comunidade. Virtude. Política. Liberdade.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.